Corregedor-Geral da JT recomenda inclusão de valores da condenação em sentenças

November 9, 2018

Será o fim das fases de liquidação e execução nos processos trabalhistas?

 

O corregedor-Geral da Justiça do Trabalho, ministro Lelio Bentes Corrêa, editou na última quinta-feira, 27, a recomendação 4/18 da Corregedoria-Geral da Justiça do Trabalho. A medida recomenda aos juízes do trabalho a proferirem sentenças condenatórias líquidas, sempre que possível, contendo os valores devidos à parte vencedora.

 

De acordo com a recomendação, as decisões de 1º grau devem fixar os valores relativos a cada um dos pedidos acolhidos, além de indicarem o termo inicial e os critérios para correção monetária e juros de mora, e determinarem o prazo e as condições para o seu cumprimento.

 

Segundo a norma, esses valores poderão ser revistos no caso de interposição de recurso, mas, após o trânsito em julgado, os cálculos não poderão ser modificados nas fases subsequentes do processo. No exame dos recursos, o relator, sempre que possível, deve adotar o mesmo procedimento.

 

Conforme consta na recomendação, os juízes devem adotar, preferencialmente, o Sistema Unificado de Cálculos Trabalhistas da Justiça do Trabalho – PJe-Calc – para elaboração dos cálculos nas sentenças. A medida também traz orientações sobre procedimentos nos quais o juiz precisa atribuir a elaboração dos cálculos aos calculistas ou contadorias centralizadas das unidades jurisdicionais ou, em casos excepcionais, a peritos judiciais.

 

Os cálculos dos títulos condenatórios das sentenças integrarão a decisão, para todos os fins, de modo que as partes e os julgadores possam ter amplo acesso às fórmulas empregadas na liquidação.

 

Clique aqui para ler o conteúdo completo da recomendação 04/18.

 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Posts Em Destaque

Veja como contratar um novo serviço de cálculo não trabalhista pela loja on line do Grupo QUALICONT

September 24, 2019

1/10
Please reload

Posts Recentes